Paralisação de 24h e passeata pela Segurança Pública serão realizadas pela ASPOL/PB na quarta-feira (31)

Paralisação de 24h e passeata pela Segurança Pública serão realizadas pela ASPOL/PB na quarta-feira (31)

A categoria investigativa do Estado paralisa as atividades na próxima quarta-feira (31), em todo o Estado. No mesmo dia, às 8h30 da manhã, os policiais realizam uma “Passeata Pela Segurança Pública”, com concentração em frente ao Colégio Lyceu Paraibano, no centro de João Pessoa, de onde seguirá até a Praça dos Três Poderes.  Durante o ato, os policiais levarão uma cama hospitalar, representando os profissionais que estão morrendo de trabalhar, por não conseguirem se aposentar devido às perdas salariais de mais de 40%.

Além da ASPOL, o movimento terá o apoio de outras Associações da Segurança Pública que compõem a “Frente SOS Segurança Pública”, formada pela COPM/BM, ASSINPM/BM, ASSEMP, ASSPOM e AGEPEN-PB, todos esses integrantes da Polícia Civil, Polícia Militar e Agentes Penitenciários. Os Policiais vão às ruas mais uma vez, mostrar a sociedade a situação salarial a qual estão submetidos.

Na última semana, o Governo do Estado anunciou um suposto aumento de 5% e o pagamento dividido em 18 meses, do restante da incorporação de horas extras numa gratificação chamada bolsa desempenho. A ASPOL/PB não considera isso um aumento, pois está retirando dinheiro de um local para outro, ou seja, mudando apenas a rubrica da hora extra para bolsa desempenho. Efetivamente os policiais continuarão com o pior salário do país. Buscando corrigir essa defasagem salarial, a principal proposta da entidade é corrigir um erro que em 8 anos não foi corrigido, que é o pagamento da categoria de nível superior igualmente às demais.

 “Vamos paralisar as atividades e realizar a passeata, em protesto ao recebimento do pior salário do país. Não estamos tendo oportunidade de dialogar com o Governador Ricardo Coutinho, estamos sendo obrigados a receber as decisões e não contestar, como foi o caso do anúncio equivocado de aumento de 5% para a categoria. Vamos mostrar à população paraibana, que os profissionais concursados e de nível superior que tanto se dedicam à segurança, são submetidos a ganhar um salário vergonhoso e sofrer com perdas salariais de mais de 40% quando se aposentam, por isso, tantos policiais continuam na ativa, morrendo de trabalhar, para não ter que fazer a família sofrer com essas perdas. Precisamos dar um basta nisso! Lutamos por respeito e por dignidade salarial”, disse a presidente da ASPOL/PB, Suana Melo.