Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba

Nota de pesar

Nota de pesar

A Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba – ASPOL/PB lamenta a morte do investigador criminal João Roberto Leandro Moreno, nesta segunda-feira (11), lotado na sede da 3ª Superintendência Regional da Polícia Civil, da cidade de Patos. É mais um caso de suicídio de policial civil nessa região, sendo o terceiro em menos de dois anos, além de outros casos de homicídios de investigadores nos últimos cinco anos.

João Roberto estava realizando tratamento de saúde, devido ao estresse e a depressão, de que em tese era vítima, face ao trabalho exaustivo, ordinário e extraordinário, ao assédio moral e à perseguição, relatados por ele em vídeo. São casos cada vez mais comuns entre os trabalhadores da segurança pública da Paraíba.

A ASPOL/PB enviou ofício 009/2019 à chefia do Núcleo de Saúde Ocupacional da Secretaria de Estado da Segurança e Defesa Social (NSO-SESDS), no dia 12 de fevereiro deste ano de 2019, solicitando prestação de assistência psicológica para o investigador João Roberto Leandro Moreno, informando os problemas de saúde e relatando as suspeitas de perseguição na instituição. E assim, ele conseguiu iniciar o acompanhamento.

A Associação tem feito várias campanhas de alerta contra o assédio moral, transferências injustificadas, e por condições dignas de trabalho, sobretudo, respeitando os trabalhadores da segurança pública, submetidos a essas situações precárias. A ASPOL/PB tem buscado reverter esses casos através da solicitação de melhores estruturas nas delegacias, equipamentos de proteção pessoal e necessário acompanhamento psicossocial, que deve ser disponibilizado pelo Governo a todo e qualquer agente da segurança pública no Estado. Inclusive, através do ofício 002/2019, ao delegado geral foi solicitada equipe do NSO-SESDS para extensão do atendimento às 2ª e 3ª superintendências, buscando atender o máximo de policias em todo o Estado.

Acreditamos que a valorização daqueles que integram as instituições policiais é um dever da administração pública. Estamos indignados com a despedida precoce do nosso colega. Um companheiro de luta, um homem que tinha no sangue a motivação pelo trabalho investigativo e combate à criminalidade. A ASPOL/PB, em nome de todos os associados, deseja que Deus conforte o coração dos familiares e amigos, ao mesmo tempo em que cobra abertura imediata de procedimentos para investigar a veracidade das denúncias apontadas por João Roberto, em vídeo.


Veja um breve histórico dos casos de homicídios e suicídios na Polícia Civil da Paraíba nos últimos quatro anos.

 

SUICÍDIOS:

- Investigador João Roberto Leandro Moreno – Patos – 11/03/2019

- Delegada Tâmara Lenina – Patos - 05/04/2018

- Investigador Luciano Bonaparte – Patos - 24/10/2017

- Arnaldo Alcântara César – João Pessoa - 23/03/2017

 

HOMICÍDIOS:

- Delegado Leonardo Machado – Uiraúna – 11/08/2018

- Investigador Jorge Leonardo de Oliveira – Piancó – 09/04/2018

- Investigador Klaus Cruz Lima – Patos – 29/01/2017

- Investigador Marcos Rosas – Arara – 03/10/2016

- Investigador Waldir Ponce di Leon – João Pessoa – 21/05/2016

- Investigador Marcos Vinicius Paulo – Puxinanã – 06/10/2015

ASPOL - 11/03/2019