Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba

 

 

ASPOL/PB acompanha policiais que estão sendo perseguidos por reivindicar direitos

ASPOL/PB acompanha policiais que estão sendo perseguidos por reivindicar direitos

A Associação da Polícia Civil de Carreira da Paraíba – ASPOL/PB recebeu na noite da terça-feira (20) vários policiais que tiveram o ponto cortado e prejuízo financeiro durante a participação nos movimentos no dia 27/12/2017 e também no dia 31/01/2018. A diretoria lembra que nesses dois dias os policiais protestaram por melhores condições de trabalho e dignidade salarial, pois atualmente os polícias recebem o PIOR SALÁRIO DO PAÍS!

A Presidente da ASPOL/PB, Suana Melo, relembrou que os movimentos realizados pela categoria buscam mostrar à sociedade os motivos por que a Segurança Pública da Paraíba precisa de atenção. A luta dos profissionais da segurança pública é por qualidade do serviço tanto para a população quanto para os policiais.

“A segurança pública não está melhor por falta de vontade política. Trabalhamos com um efetivo de 1/3, os policiais não conseguem atender as ocorrências com a urgência necessária, além disso trabalham com coletes vencidos, não têm munição para treinamento, não recebem através de subsídio conforme prevê a Constituição Federal, somam perdas inflacionárias de mais de 60% nos últimos 8 anos. Para terminar de desestimular os policiais, o profissional que se aposenta ou se acidenta no trabalho perde mais de 40% do salário. Os profissionais da segurança pública da Paraíba precisam ser valorizados e respeitados”, disse Suana.

O advogado Dr. Ideltônio Moreira do Escritório Sheyner Asfóra esteve presente na reunião para orientar os policiais e recomendou. “Os policiais sindicados que receberam a Citação para defesa prévia deverão enviar para o e-mail da ASPOL (secretaria@aspolpb.com.br) os seguintes documentos: cópia da citação, procuração preenchida e assinada (disponível no site), cópia da funcional, comprovante de residência, cópia do contracheque que apresenta o corte do ponto e documento que prove que estava de férias, licença, doação de sangue e/ou exercício das atividades naquele dia, se houver”, disse o advogado.

“É importante também que seja indicado rol de testemunhas que possam ser arroladas em defesa de cada policial. A assessoria jurídica está empenhada nesse trabalho de promover a defesa técnica de todos os associados, norteada principalmente pelas garantias constitucionais de qualquer cidadão”, esclareceu o Dr. Ideltônio.