Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba

  

    

Paraibaonline: Aspol faz vigílias em cidades do Estado em memória de policiais mortos

24/03/2019 10:30

A Associação dos Policiais Civis da Paraíba (Aspol) realizou na última quarta-feira, em Campina Grande, vigília em memória de 10 policiais, 9 homens e 1 mulher, que morreram no exercício do trabalho ou cometeram suicídio nos últimos 3 anos.

Em entrevista à Rádio CBN, o vice-presidente da Aspol, Frank Barbosa, falou que o número é alarmante já que a categoria conta, segundo ele, com pouco mais de 2 mil policiais. Ele explicou que a vigília tem como objetivo alertar a população.

Segundo Barbosa, a sociedade precisa enxergar os policiais como ser humano e não só como um número, já que de acordo com ele, lutam pela pacificação social.

– O policial quando morre, não é só o policial que está morrendo, é o Estado que está morrendo. A gente precisa dar um olhar melhor aos nossos policiais – ressaltou.

O vice-presidente defende também que a gestão precisa entender os anseios dos policiais enquanto ser humano, pois, segundo ele, há uma sobrecarga de trabalho, já que a categoria que deveria ter em torno de 6 mil profissionais, conta com aproximadamente 2 mil.

– O policial que trabalha em um expediente normal precisa vender sua folga, às vezes obrigatoriamente, então, isso causa estresse. A gente precisa olhar para esse policial e trazer saúde mental para eles – disse.

Ele defende também que quanto mais no interior do Estado seja a posição do policial, o problema é intensificado, já que dos quatro últimos suicídios de policiais, três foram do município de Patos.

Ainda de acordo com Frank Barbosa, a luta da categoria é que o núcleo de saúde, atualmente localizado somente em João Pessoa, seja estendido para Campina Grande e Patos.

Por fim, o vice-presidente da Aspol explicou que a vigília também foi estendida para a cidade de João Pessoa, e no dia 25 será realizada em Patos.