ASPOL parabeniza investigadores por elucidação do assassinato de Vivianny Chrisley e prisão de suspeitos do crime no RJ

ASPOL parabeniza investigadores por elucidação do assassinato de Vivianny Chrisley e prisão de suspeitos do crime no RJ

A Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (ASPOL/PB) parabeniza todos policiais civis, especialmente os investigadores, que trabalharam para as prisões de Jobson Barbosa da Silva Júnior, e Fagner das Chagas Silva, ambos suspeitos do assassinato da vendedora Vivianny Chrisley, ocorridas na manhã desta segunda-feira, 21, na cidade do Rio de Janeiro (RJ), morro de Acari.

A presidente da Associação, Suana Melo, destacou a importância da categoria investigativa no exercício da polícia judiciária e na coleta de informações que contribuíram para a elucidação do crime. “Os investigadores participaram diretamente do levantamento de informações sobre o caso e da execução dos mandados de prisão expedidos contra esses suspeitos no Rio de Janeiro, mostrando competência e seriedade no trabalho”, avaliou Suana.

Suana lembrou que toda a sociedade paraibana pode acompanhar a prisão do primeiro suspeito, Alex, no começo do mês e ainda essa ação de hoje. “Nada disso seria possível sem a participação direta das categorias investigativa e de apoio, que não podem mostrar o rosto pela própria característica sigilosa de sua atividade, mas mostram, diariamente, os resultados de seus trabalhos”, frisou a presidente.

“Justamente por essas ações efetivas é que não só vários homicídios e outros crimes na Paraíba são elucidados, como também os índices de assassinatos na Paraíba vêm caindo ano a ano. Hoje a atuação dos investigadores e da categoria de apoio da nossa Polícia é de excelência”, concluiu.

O caso – A jovem Vivianny desapareceu no dia 21 de outubro, depois que saiu de uma casa de shows, na zona sul de João Pessoa. No dia 11 de novembro, o estoquista Alex Aurélio Tomas dos Santos, 22, foi apresentado pela Delegacia de Crimes contra a Pessoa (Homicídios) da Capital, como um dos suspeitos e os nomes de Jobson e Fábio divulgados como participantes do crime de homicídio, que se confirmou após exame de DNA realizado no corpo que foi encontrado no dia 7 de novembro, na divisa entre os municípios de Bayeux e Santa Rita.