Representante de associação: policiais civis da PB recebem o pior salário do país

10/11/2016 11:04

O vice-presidente da Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba (ASPOL-PB), Valdeci Feliciano, comentou sobre a paralisação dos policiais civis que está organizada para esta quarta-feira (9) e disse que a ação é para que haja uma reivindicação de reajuste salarial e compra de equipamentos de segurança.

Segundo ele, a categoria é aconselhada a não participar de operações sem coletes. Ele destacou que toda a polícia enfrenta, em todo o Brasil, o problema referente à aquisição de armamentos.

– Infelizmente, as armas utilizadas pela polícia têm apresentado problemas no treinamento, no teste do equipamento, como no dia a dia. Há relatos de diversos colegas que estão com o equipamento dando pane na hora que precisa utilizar, e a munição, inclusive, já com o prazo de validade se estendendo. O equipamento que não traz a confiança é outro fator de desmotivação – disse.

Ele também falou que percebeu que o número de araques de polícia é maior do que imaginava. O araque é o servidor não concursado e que não passou pela academia, mas realiza atividades policiais. De acordo com Valdeci, eles são cedidos para auxiliar no serviço administrativo.

– Pelo menos incorporação nova cessou, mas há a manutenção desse pessoal antigo. Inclusive, participando de operações policiais é um risco, porque a sociedade identifica o servidor que está investigando e não pode ser identificado. O servidor do Estado tem um vínculo do Estado, ele responde a sindicância caso faça o procedimento errado – afirmou.

Por fim, um dos principais gargalos citados por Feliciano que os policiais civis enfrentam é o fato de a categoria receber o pior salário do país.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM.

Clique aqui e veja a matéria publicada pela redação do site Paraiba Online.