Nota

04/01/2018 12:08

A Associação dos Policiais Civis de Carreira da Paraíba – ASPOL/PB, maior entidade representativa da Polícia Civil do Estado paraibano, com mais de mil associados, se solidariza com a luta dos investigadores criminais do Rio Grande do Norte, pelo engajamento no movimento que cobra o pagamento dos salários de novembro, dezembro e do 13º que não foram efetuados pela administração pública.

Em greve desde o último dia 20 de dezembro, policiais civis do Rio Grande do Norte se apresentaram nesta quarta-feira (03) na Delegacia Geral de Polícia como forma de protesto contra a falta de responsabilidade do Governo estadual com os profissionais da segurança pública.

A ASPOL/PB se preocupa com os profissionais e os cidadãos que ficam sem segurança e à mercê da criminalidade, por causa da atitude lamentável das autoridades de não honrar com os vencimentos da categoria. Os policiais merecem respeito, são trabalhadores, dedicam-se a essa profissão tão difícil, mas, infelizmente, ainda muito desvalorizada.

Vale lembrar que o Supremo Tribunal Federal (STF), em 2017, ao proibir as greves das forças policiais por considerar como atividade essencial do Estado a manutenção da segurança das pessoas, esqueceu que os policiais continuam sendo trabalhadores e também têm o direito fundamental de expressão. A greve dos policiais do RN não afronta o interesse público, muito pelo contrário, tão somente quer publicizar o que o público desconhece (geralmente escondido pelos governantes), sendo sim de 'interesse público' que os policiais civis, não só do RN, mas de qualquer Estado, sejam tratados com respeito à sua dignidade humana.

A mesma decisão do STF também deixou claro, por maioria, que o poder público terá, a partir de agora, a obrigação de participar de mediações criadas por entidades que representam servidores das carreiras de segurança pública para negociar interesses da categoria. E isso não parece estar ocorrendo. Simplesmente os governantes estão tratando com desprezo os trabalhadores que no dedicam suas vidas à segurança pública.

Todos nós, que trabalhamos pela segurança do nosso país, não podemos baixar a cabeça e aceitar situações impostas por governos que só fazem perseguir os policias e tirar direitos dos profissionais, que tanto se dedicam ao trabalho e mostram resultados positivos em defesa da sociedade. São provedores de família, homens e mulheres, que querem apenas alimentar suas famílias e dar uma vida digna a quem depende desse salário para sobreviver. É vergonhoso, tudo isso, e a os policiais em todo o país devem se manifestar em favor dos companheiros do Rio Grande do Norte, pois o processo de sucateamento por que passa a segurança pública pode ser algo intencional e que visa enfraquecer a investigação criminal para que pessoas públicas e influentes não sejam investigadas.

A diretoria da ASPOL/PB e todos os mais de mil policiais civis associados reitera que apóia a luta da categoria investigativa do Rio Grande do Norte, e nos colocamos à disposição para ajudar os companheiros de profissão na missão justa de reivindicar direitos.